Perecível ao tempo

Posts Tagged ‘história

Em primeiro lugar, seja feliz! Siga sua intuição, escute com carinho os amigos e tente dar bons conselhos, mas não fique chateada se fizerem algo totalmente diferente do que vc disse. Eles também não ficaram chateados quando vc fizer o mesmo. Tente não se atrasar para seus compromissos, especialmente se for algo com seus amigos. Assista muitos filmes, bons e maus. Escute música e dance sozinha, principalmente se for uma sexta à noite e vc não estiver afim de sair. Comemore suas conquistas, se quiser chamar amigos e parentes, legal. Mas se só tiver trocados pra comprar um doce na panificadora do mercado, comemore assim mesmo. Só você sabe o quanto tudo foi difícil. Sorria para estranhos. Se surpreenda com as pessoas (achar que já sabe tudo sobre os demais é uma forma de desrespeitar a eles e as histórias que carregam). Continue blogando! Suas palavras trazem algo de bom! Um bjo

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Faz três semanas que antes de dormir ou depois de acordar dá um estalo e penso: “consegui!”

Tão diferente de três anos atrás, quando parecia que havia jogado minha âncora em um ponto ruim da vida e não conseguiria mais sair de lá.

Mas eu consegui. Consegui partir daquele ponto, avancei mais rápido do que imaginava e agora posso olhar pra trás com a segurança de que tudo só serviu pra me empurrar para o ponto em que agora estou.

Agradeço os dias ruins e as pessoas que me escutaram quando precisei. Agradeço a minha própria história por me colocar hoje aqui. Porque acho que felicidade é isso, sentir que se está exatamente onde e com quem gostaria de estar.

 

 

 

 

A sua barba e a boina idênticas às de Che, a camisa amarela vinda de Cuba, os olhos verdes, as sardas e o sotaque chileno. Mais do que isso, o seu conhecimento sobre as fases da Lua, o horóscopo maia, o significado da base piramidal para diversos povos. Você cantando bossa nova, MPB, canções chilenas e de outros lugares mais dessa América do Sul. A flauta transversal de bambu sendo tocada às quatro da manhã, o cachorro quente comido às cinco e o beijo dado às seis.

Se nossa história juntos se resumir a isso, tudo bem, sei que foi uma bela história de amor.

 

 

 

Posted on: 21/07/2012

São spoilers da literatura brasileira.

NÃO LEIA!

Ou leia e tente adivinhar de quais histórias são.

 

Separada de Bentinho, Capitu “morre bonita” na Suíça.

Brás Cubas não teve filhos. E morre (coisa que é um falso spoiler, a bem da verdade).

Preso, Major Quaresma perde. Tudo.

GH come a barata. E adora­­ – – – – –

Fabiano atira em Baleia e vai para o sul.

Vestida de dançarina oriental, Ana é morta pelo pai.

Ana Clara morre, Lia se exila e Lorena volta pra casa.

O diabo não existe, existe o “homem humano”.

Baltasar desaparece num balão, mas Blimunda o vê queimando numa fogueira.

Gabriela e Nacib ficam juntos.

Bertoleza rasga o próprio ventre.

Com vento a favor, tudo dá certo para os portugueses.

Madalena escreve uma carta e toma veneno. Todos dormem – menos Paulo Honório.

“Seguiu-se a morte de D. Maria, a do Leonardo-Pataca, e uma enfiada de acontecimentos tristes que pouparemos aos leitores, fazendo aqui ponto-final.”

 

Reconheci #8.

P.S.: Os spoilers saíram daqui: Não me culpem pelo aspecto sinistro

 

Da nossa história, da nossa curta história juntos, o que me mais me chateou não foi o fato de você nunca ter retornado o telefonema que dei; nem o fato de você não ter respondido minhas mensagens no Facebook; não ter me chamado uma segunda vez pra ir no cinema ou ter mentido ao dizer que não iria naquela festa que você foi. Também não foi porque você não jogou nenhuma partida de futebol comigo no Playstation, quando me disse pra almoçar contigo num domingo. Nem foi o fato de me chamar pra tomar umas beras e me deixar do lado de fora da balada porque não chegamos a um acordo de qual lugar entrar. Muito menos foi por causa do dia que você mal me cumprimentou quando sua chefe estava por perto. O que mais me chateou foi que você disse, no fusca do seu amigo, que queria dormir ao meu lado escutando Beatles. Mas nós nunca mais escutamos Beatles juntos.

Quanto mais leio, estudo, fuço sobre o universo cinematográfico, mais gosto disso tudo. Parece uma coisa óbvia, mas não é.

Na disciplina de Cinema, na faculdade de Jornalismo, já no final do semestre lembro de ter ouvido uma amiga dizer: “Quanto mais entendo como os filmes são feitos, menos gosto deles”.

Para ela, a utilização das técnicas cinematográficas fazia com que se perdesse a “magia” da sétima arte. Um exemplo:  ela odiou saber que em muitas cenas em que aparece um personagem “conversando” com outro. Na verdade ele está sozinho e o diálogo é feito na montagem, alternando a imagem de atores falando sozinhos.

Como disse, comigo ocorre exatamente o contrário. Acho fabuloso que um ator sozinho consiga passar a mesma emoção de que se estivesse fazendo a cena em dupla. Acho espetacular o fato dos responsáveis pela montagem conseguirem coordenar as cenas, de forma que vejo diálogos onde existe monólogos.

Quanto mais entendo de Cinema, mais gosto, pois consigo entender a história em diferentes níveis. Consigo analisar não só a história e a atuação dos atores, mas também o processo de montagem (edição), escolha de figurinos, marcação de cenas… Enfim, entendo um pouco sobre a magia que é fazer cinema.

Quando opto por mostrar uma imagem, por filmar um plano, são possíveis várias leituras em diferentes níveis, e admito que a razão pela qual desejo essa imagem pode não ser necessariamente entendida por todos. Além disso, nem eu mesmo tenho sempre consciência do significado de minhas opções no momento em que as faço.

[Pedro Almodóvar, trecho de “Conversas com Almodóvar“, de Frederic Strauss]

Entender a História das artes, da moda, do cinema ou do mundo em geral não é tarefa simples. Muito fatos interessantes, muitas datas importantes…

Por isso, resumos são sempre bem-vindos. Ainda mais se ensinarem de forma divertida.

Encontrei dois resumos que valem a pena! Esse aqui embaixo é sobre alguns artistas e seus respectivos movimentos artísticos. Impossível não reconhecer as obras-referência de cada desenho…

Outro bom resumo é esse vídeo aqui embaixo. Ele mostra a evolução da moda de uma maneira bem bacana.

Feito pelo shopping londrino Westfield Stratford City, o vídeo relaciona a evolução da moda através das décadas com os ritmos musicais que marcaram cada época.

Moda, música, dança e atitude num lugar só!

 

(e ainda tem gente que acha que moda é uma coisa fútil… olhe bem se a atitude, a dança e a música não tem tudo a ver com a roupa que os dançarinos estão usando…) 


Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: