Perecível ao tempo

Archive for julho 2012

Ontem resolvi que ficaria uma semana sem entrar no Facebook. Percebi que a rede social tem tomado muito meu tempo. Imagino que 9 entre 10 pessoas já tenha pensado a mesma coisa. Mesmo assim, fiquei feliz de perceber que ao invés de estar rolando infinitamente a timeline e conferindo a cada meio segundo se uma nova notificação surgiu na minha página, aproveitei muito mais as últimas 24 horas. Se tempo é dinheiro, estava perdendo milhões todos os dias na frente da tela. Reclamo tanto da falta de tempo, que tinha me esquecido que é justamente isso que perco enquanto estou nos murais alheios.

Nessas 24 horas aproveitei pra assistir dois filmes (A morte num beijo – chato, 12 homens e uma sentença – muito legal), arrumar/limpar meu quarto, fazer as compras do mês (em dois mercados e no “sacolão” – comércio da prefeitura que vende apenas verduras, legumes e frutas), preparar um almoço pra mim e pro meu pai, ir no banco…

Gosto de Cinema, gosto de cozinhar, gosto de ter comida no armário e na geladeira e de ter dinheiro no bolso, então porque  diariamente tenho aberto mão disso tudo apenas para ficar imersa no mundo facebookiano, onde todos são perfeitos, baladeiros, atuantes socialmente, etc?

Acho que é hora de me desplugar mais e aproveitar o mundo lá fora…

Posted on: 21/07/2012

São spoilers da literatura brasileira.

NÃO LEIA!

Ou leia e tente adivinhar de quais histórias são.

 

Separada de Bentinho, Capitu “morre bonita” na Suíça.

Brás Cubas não teve filhos. E morre (coisa que é um falso spoiler, a bem da verdade).

Preso, Major Quaresma perde. Tudo.

GH come a barata. E adora­­ – – – – –

Fabiano atira em Baleia e vai para o sul.

Vestida de dançarina oriental, Ana é morta pelo pai.

Ana Clara morre, Lia se exila e Lorena volta pra casa.

O diabo não existe, existe o “homem humano”.

Baltasar desaparece num balão, mas Blimunda o vê queimando numa fogueira.

Gabriela e Nacib ficam juntos.

Bertoleza rasga o próprio ventre.

Com vento a favor, tudo dá certo para os portugueses.

Madalena escreve uma carta e toma veneno. Todos dormem – menos Paulo Honório.

“Seguiu-se a morte de D. Maria, a do Leonardo-Pataca, e uma enfiada de acontecimentos tristes que pouparemos aos leitores, fazendo aqui ponto-final.”

 

Reconheci #8.

P.S.: Os spoilers saíram daqui: Não me culpem pelo aspecto sinistro

 


%d blogueiros gostam disto: